O poder do alongamento

Sabe aquela boa espreguiçada que damos ao acordar? Já é um ótimo alongamento, mas há uma maneira correta de fazê-la e os benefícios vão muito além de mandar a preguiça para longe. As práticas de alongamento são grandes aliadas no seu dia a dia para uma boa qualidade de vida.   

A boa mobilidade do nosso corpo está associada à integridade das articulações, assim como à flexibilidade ou capacidade de extensão dos tecidos moles que cruzam as articulações, são eles: músculos, tendões, fáscias, cápsulas articulares e pele. Segundo a Profa. Ms. Adriana Edler Macagnan, do Curso de Fisioterapia da PUCRS, “os encurtamentos musculares podem ser decorrentes de um estilo de vida sedentário, desalinhamentos posturais, desequilíbrios musculares ou por períodos de imobilização prolongada”, aponta a profissional. Ou seja, se você sente dificuldades ao alongar, pode ser por um desses motivos, por isso é importante a consulta com um fisioterapeuta.

alongamento wiesbauer

O alongamento é feito para aumentar a mobilidade dos tecidos moles e consequentemente aumentar a amplitude de movimento e a sua flexibilidade. A fisioterapeuta explica que isso ocorre porque “quando um músculo é alongado, uma força é aplicada de forma sustentada no final da sua amplitude para um pouco além do movimento disponível. Esta força é transmitida através do tecido que envolve o músculo, o tecido conjuntivo, ocorrendo uma perturbação mecânica e a separação dos filamentos, levando a um alongamento muito rápido da unidade funcional do músculo”.

 

Importância do alongamento para a saúde

Vimos que um bom alongamento influencia diretamente a sua mobilidade. Macagnan esclarece que uma mobilidade adequada permite que a pessoa realize movimentos articulares amplos e livres de encolhimentos. “As articulações precisam de espaço para que as extremidades ósseas deslizem livremente dentro da articulação. A falta de mobilidade desses tecidos causa restrições de movimento e sobrecarga articular, favorecendo os desgastes da cartilagem, sobrecarga sobre os tendões, predispondo às tendinopatias, assim como as lesões musculares por estiramento, quando o músculo é exigido abruptamente além da amplitude disponível”, elucida a Profa. Ms. Adriana Edler Macagnan. Então, é bom prevenir essas complicações e começar a alongar!

 

Formas de alongar

Há diversos exercícios de alongamento que trabalham diferentes músculos. Para um bom alongamento, a fisioterapeuta alerta que deve-se levar em consideração a habilidade dos tecidos de alongar-se. Sendo assim, a velocidade, a intensidade, a frequência e a duração da força de alongamento, assim como a temperatura dos tecidos, afetam as respostas dos diferentes tipos de tecidos.

A profissional dá dicas para um alongamento adequado: “Ao realizar um programa de alongamento a pessoa deve se posicionar confortavelmente e com um alinhamento corporal adequado, para evitar desequilíbrios durante a execução. O alongamento realizado com velocidade lenta, de baixa intensidade e maior tempo são mais confortáveis e produzem bons resultados e os efeitos duram cerca de dois dias. É recomendado sustentar a posição por pelo menos 30 segundos”, finaliza Macagnan.

Veja alguns exercícios de alongamento para fazer em casa, seguindo a execução indicada pela Profa. Ms. Adriana Edler Macagnan:

alongamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.