Como diagnosticar a enxaqueca

Muitas pessoas tem medo ou sofrem de enxaqueca. É um doença crônica, ou seja, dura vários dias com intensidade forte e pode surgir a partir de diversos sintomas. Neste post vamos expor informações sobre a enxaqueca para que você possa identificar a doença.

O que é a enxaqueca

A enxaqueca ou cefaleia é uma doença crônica que pode aparecer através de diversos sintomas. A duração de uma crise pode variar de quatro horas até três dias, com variação de intensidade, mais forte e mais leve em alguns momentos. Não existe uma forma de apontar como pode ser a frequência da dor de cabeça da enxaqueca. A pessoa acometida pode ter crises seguidamente, uma vez por semana ou uma vez ou mais por dia. Da mesma forma é possível ter enxaqueca uma vez na vida e não voltar a sofrer com a doença.

A Academia Brasileira de Neurologia (ABN) fez uma pesquisa com 2,3 mil pessoas. Das pessoas entrevistadas 97% tiveram dor de cabeça em 2016, 88% dos entrevistados são mulheres e 12% homens. Segundo o neurologista Marcelo Cicciarelli, coordenador da pesquisa da ABN, há dois tipos de cefaleia: a primária, que é a enxaqueca em si e pode ter origem tensional, e a secundária, quando a dor é sintoma de outra doença potencialmente mais grave, como sinusite, meningite e derrame cerebral.

Causas da dor de cabeça

A enxaqueca pode surgir de fatores desencadeantes como alimentação, noites mal dormidas, dores, menstruação entre outros, que podem despertar a crise que é uma dor forte, por vezes latejante. Não se pode definir precisamente qual a causa, mas é de conhecimento da comunidade médica que ocorre um desequilíbrio bioquímico em certas localidades do cérebro, envolvendo substâncias chamadas neurotransmissores, neuropeptídeos e hormônios, inclusive a serotonina, neurotransmissor mais popular no senso comum. Essas desequilíbrios também estão relacionados com depressão, ansiedade e pânico.

Como diagnosticar a enxaqueca

A melhor forma de diagnóstico é consultando um médico. Também deve se evitar tomar remédio por conta própria. De acordo com o Doutor Marcelo Cicciarelli, em depoimento para o portal G1, “isso pode levar ao uso excessivo de analgésicos e, em vez de melhorar a dor, aumentar a frequência e a intensidade, ou seja, está complicando um problema, cria um ciclo de dependência dessas drogas”, diz o neurologista.

Sintomas como dor de cabeça forte por varias horas ou até vários dias, náuseas, enjoos vômitos, aversão à claridade, hipersensibilidade ao barulho, aos cheiros, hipersensibilidade do couro cabeludo, visão embaçada, irritabilidade, mudanças de humor, ansiedade, tontura, depressão, entre outros podem indicar a enxaqueca.

Somente a investigação médica pode determinar se a pessoa está com a dor de cabeça enxaqueca e apontar qual o tratamento adequado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.